domingo, 25 de novembro de 2012

Demasiado mau

E. L. James, autora da trilogia «As Cinquenta Sombras» e pessoa podre de rica graças às muitas vendas dos seus livros, ainda me surpreende (pela negativa, sempre):
 
- enquanto escreve ouve Britney Spears;
- a sua "escritora" preferida é Nora Roberts;
- admira muito Stephenie Meyer (autora da saga «Twilight»);
- escreve sobre sexo sadomasoquista, mas nunca leu Sade nem Anaïs Nin.
 
Posto isto, nem sequer tenho comentários. É demasiado mau para ser verdade...

7 comentários:

  1. Já folheaste, leste ou releste algum dos "Cinquenta Sombras..."? Já li coisas tão terríveis acerca deles que tinha curiosidade em saber o que achaste. Nunca cheguei sequer perto de nenhum deles.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Miss Pipeta, ler não li, nem lerei. Mas folheei e li alguns excertos na Fnac. Li, também, muitas críticas sobre este livro (a melhor foi na revista Ler do mês passado, se não me engano). Creio que já falei aqui desta trilogia algumas vezes. Na minha opinião os livros estão mal escritos, forradinhos de clichés desinteressantes, as personagens (pelo que percebi) são ocas e sem profundidade. A autora não parece ter-se documentado muito antes de escrever o livro, e também não parece preocupar-se nada com isso. Há livros eróticos bem escritos (Henry Miller, por exemplo), mas estes não o estão. São o resultado da soma de frases feitas e um amontoado de palavras que juntas nem querem dizer grande coisa (basta ver as descrições que faz dos gestos e expressões dos rostos das personagens: se experimentares fazer tudo o que lá é dito, vai parecer que estás a ter um AVC). Enfim, são fábricas de fazer dinheiro, mas não são literatura. Vendem porque a exigência é pouca e porque é moda. Ponto.

      Eliminar
  2. Adorei o pormenor de parecer que estás a ter um AVC, vou anotar. :) Obrigada
    Eu não tenho nada contra os livros que não são propriamente nenhuma obra-prima da literatura, até os acho úteis para algumas situações, como ler na praia quando tens 10 pessoas à tua volta e também queres deitar um olho à conversa... :) Mas pelo menos a história tem que ter algum interesse, já que da escrita não vais tirar nada. E este nem isso parece ter, pelos comentários que já ouvi por aí, chamar-lhe livro erótico é muito suave para o que vem lá dentro.

    ResponderEliminar
  3. Eu vi a reportagem dela, é impressionante, pode não valer nenhum, mas só o protagonismo vende! :)

    ResponderEliminar
  4. Já li o livro, precisamente por querer saber porque motivo está a ter tanto sucesso. Pensei eu, na minha inocência, que se o livro se encontra em top 1 em tudo o que é livraria deveria ter o mínimo de qualidade. Uma pessoa conhecida passou-me o PDF do livro e li-o no computador em inglês, ou seja, o original. Tenho de confessar que é um dos piores, se não o pior livro que já li na minha curta existência de leitora. É mau, mau, mau e fico chocada como é que pode ser um best-seller. Aliás, o simples facto de ter sido publicado choca-me. A escrita é miserável, as personagens são horrorosas e irritaram-me durante toda a leitura, as cenas eróticas são absurdas e totalmente irrealistas em muitas situações, assim como aborrecidas e sempre iguais umas às outras. A personagem masculina por qual todas as mulheres andam a suspirar é machista, nojento, abusador e violento e penso que é degradante para as mulheres submeterem-se a uma relação assim como está descrita no livro. Temo pelo futuro da literatura, confesso, sempre que vejo isto nos tops de venda...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana, obrigada pelo comentário.

      Concordo plenamente com o que diz. Custa-me muito perceber o sucesso que uma coisa tão mal escrita está a fazer. Não li o livro, li apenas as partes que uma ida mais longa à livraria permitiu ler e li já muitas críticas (uma delas fantástica na revista Ler). A autora conseguiu ali a galinha dos ovos de ouro, já que muita gente aceita aqueles livros sem olhar realmente para a enorme falta de qualidade que têm. A máquina publicitária é boa e a moda pegou. Como se costuma dizer, «O sexo vende.». Agora: até pode ter já vendido muito, mas isso não faz com que os livros tenham qualidade. A história é má, as personagens são desinteressantes e as descrições têm uma enorme falta de coerência. A cultura literária da senhora parece ser zero e a escrita é para ela, pura e simplesmente, uma forma de fazer dinheiro. Infelizmente muita gente compra pela moda e não pela qualidade. A moda agora é essa: deixar o que é bom e vale a pena a apodrecer na prateleira, levando para casa e enaltecendo o que não tem um pingo de qualidade. Enfim... A literatura nunca teve uma vida fácil. Com estes filões a tendência é mesmo para piorar.

      Eliminar
  5. Não li porque desconfiei que seria (mais) um best seller graças uma máquina publicitária muito eficaz. O que resumiu no post confirma a minha impressão!

    ResponderEliminar