terça-feira, 15 de setembro de 2015

Permissão negada

Ai o que eu detesto ser seguidora assídua de um blogue, ir, como de costume, fazer-lhe uma visitinha e deparar-me com um aviso de permissão negada e de que não fui convidada para ler o blogue. Bolas, gente, nós seguimo-vos, lemos o que têm para dizer (desde o mais sério ao mais tosco), chegamos a rir com as vossas coisas ou a ficar preocupados com elas e, de repente, desaparecem-nos. Ficamos sem saber se vos aconteceu alguma coisa, se simplesmente fizeram do vosso blogue uma coisa mais privada e nos deixaram de fora... Mas torna-se estranho porque eu ainda não percebi muito bem os laços que nos unem nisto da blogosfera, contudo alguns existirão porque só isso explicará esta sensação esquisita de "nariz na porta" ainda que não haja porta nenhuma e, até, mesmo que não nos conheçamos de todo.

Desde que iniciei este blogue, o meu primeiro, passei a seguir algumas páginas e habituei-me a saber como estavam as pessoas responsáveis por esses espaços. Agora que penso nisso, é uma coisa um bocadinho voyeurista, mas seja como for, soa um bocadinho a amizade à distância. Gosto de saber que as pessoas estão do outro lado, gosto de ler o que escrevem e não gosto que desapareçam. É que nisto da blogosfera, a sensação de amizade é apenas aparente e quando um de vocês desaparece e eu passo a encontrar a tal mensagem de "permissão negada", na realidade perco-vos definitivamente o rasto. 

Por isso, a todos os que têm fechado a porta da blogosfera, resta-me desejar-vos sorte e felicidades. Foi um gosto seguir-vos. Eu estarei por cá mais uns tempos, por isso vão passando e dêem notícias que o povo agradece.

4 comentários:

  1. Tem alturas que fico algum tempo sem vir à blogosfera, e nessas alturas percebo que algumas pessoas também abandonaram os seus antigos blogs e criaram outros, ou deixaram o tasco de todo. E é estranho, porque perdemos contacto com essa pessoa, mesmo sendo um contacto indirecto e menos pessoal. Mas também já me aconteceu, depois de uma ausência maior da minha parte, perguntarem por mim, se "fugi" ou se aconteceu alguma coisa. Isso foi bastante importante para mim. Agora, tento ficar menos tempo ausente por períodos mais prolongados. Pode não ser efectivamente amizade que nos une, mas alguma coisa é =)
    ***

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Seja lá qual for, é uma relação curiosa e é muito estranho ver, de repente, um blogue de que gostávamos acabar e o seu autor ir à sua vidinha sem que voltemos a saber dele. Tenho visto tantos a acabarem e tenho tão pouca vontade de acabar com o meu... :)

      Eliminar
    2. É mesmo uma relação curiosa, sim. Acredito que possa vir a ser mais do que uma amizade virtual (o que quer que isso seja), desde que ambas as partes - quem escreve e quem lê - entenda a comunicação da mesma forma.
      Bem sei que não sou um bom exmplo, porque deixei de escrever no blog que tinha! Não tendo sido uma decisão impulsiva, jamais me passaria pela cabeça "desaparecer" sem dar uma justificação a quem me lia porque sei que há quem se importe e até se preocupe. Acho uma total desconsideração privatizar um blog ou deixar de escrever sem passar cavaco aos outros que por vezes seguem o blog há anos. Bom, no fundo parece-me um bom indicador de como a pessoa é, na vida real. Ou se calhar é o meu mau feitio a falar :)

      Eliminar
  2. É mesmo uma espécie de amizade à distância! Realmente habituamo-nos às pessoas que só conhecemos de um blog e também não gosto quando volto ao site e está privado, é essa sensação de "perder" o contacto, tal e qual.

    ResponderEliminar