sexta-feira, 2 de junho de 2017

Feira do Livro - 2.ª Ronda

Segundo dia, segunda ronda. Isto de ter tempo livre é do caraças. Trouxe de lá umas coisinhas porreiras. Aproveitei três livros do dia, mas depois encontrei também vários livros bons a preços de uva mijona na praça da Porto Editora. Resultado: desgracei-me. Agora a ver se passo uns dias sem pôr lá os pés senão arranjo um sarilho. A ver se me aguento até ir com o moço, embora ele não me trave os ímpetos livrescos e ainda os incentive. Mas assim ajuda-me a carregar os sacos...

Hoje trouxe isto:










(A imagem vê-se mal, mas o livro chama-se Autobiografia do General Franco e é de Manuel Vásquez Montalbán. Esta edição era caríssima e está esgotada. Encontrei-a a cinco euros num alfarrabista.)

Ontem trouxe:



(Era uma das promoções do dia no pavilhão da Cavalo de Ferro e era um livro que eu já queria havia muito tempo.)


(Não sendo livro do dia, o Sinais de Fogo estava, todavia, a metade do preço.)



Note-se que os livros da Nova Vega saíram da lateral do pavilhão, onde encontramos exemplares manuseado e muitíssimo mais baratos. Não têm qualquer problema (o da última imagem parece ter uma etiqueta, mas não é o meu, pois não me apeteceu fotografar os livros). Aliás, em alguns pavilhões, visitar as partes dedicadas aos livros manuseados pode mesmo ser a melhor ideia. Se em alguns casos os defeitos são visíveis, noutro vive-se bem com eles e o preço é menor. Enfim, quem quer uma biblioteca tem de saber dar a volta à questão. Agora só me pergunto como vou contornar a necessidade de ter uma nova estante...

4 comentários:

  1. "Aiii tantos!" foi a minha primeira reacção, depois perguntei-me como terias conseguido carregar os livros até casa :D
    Fizeste boas compras!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alguns vieram no primeiro dia e outros no segundo. Mas lembro-me de um ano em que a Babel fez promoção nos volumes da História de Portugal e faltavam-nos uns seis. Trouxe-os, mais uns quantos volumes que já tinha comprado. Cheguei à minha zona morta. Felizmente tinha o meu moço à espera para me acartar os sacos no resto do caminho para casa. Aí confesso que não sei como consegui.

      Também acho que foram boas compras. Sobretudo porque consegui aproveitar promoções que desapareceram num ápice. Foi sorte. :)

      Eliminar
  2. Compras excelentes! :)

    Não tenho nem li esse de Oz. Dos que li gostei. "Cenas de vida da Aldeia" e "A terceira condição". Este último tenho que reler mais tarde. A minha ignorância sobre o conflito entre israelitas e palestininos não me permitiu perceber certas nuances, ou pelo menos não tão bem quanto acho que poderia.
    De Piñon ofereceram-me há algum tempo "A república dos sonhos", ainda por ler.
    De Carver só li "Catedral", embora tenha achado a comparação com Tchekhov excessiva, gostei. Recordou-me Denis Johnson, sobretudo "Filho de Deus".
    "O chapéu de três bicos" também li e gostei, não será o livro de uma vida, mas gostei e é engraçado.
    Sou uma grande admiradora de Camus.
    Por ter visto um documentário baseado no livro de Cercas, não me suscitou vontade de ler este livro em particular. E nunca li nada dele.
    O de Franco está em casa dos meus pais e é para vir de empréstimo um dia.
    Mann é um Senhor. "Lotte" espera pacientemente na estante.

    "Leviatã" está também em espera, acredito que seja deslumbrante.
    E, Proust até nesse livrinho é óptimo.

    Obrigada pela partilha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu nem partilhei no blogue as rondas todas porque tive vergonha. Ironicamente foi a Feira em que mais me desgracei. Mas o melhor mesmo foram os 4 volumes da obra completa do Borges (esgotada) por 10€ cada volume. Na Feira deste ano parecia que cada vez que me mexia surgia uma oportunidade imperdível. Resultado: agora preciso mesmo de mais uma estante. Só da Nelida Piñon vieram uns cinco ou seis. E houve uma oportunidade que deixei passar de ter em casa a obra completa do brasileiro Fernando Sabino. Pus-me a pensar no preço e alguém mais esperto levou-a. :( Enfim, digamos que este ano trouxe MUITO com que me entreter. Desde Cortazar a Benedetti, passando por Jorge de Sena (comprei dois), Borges, Robert Louis Stevenson, Emílio Salgari, Thomas Mann, entre outros, foi um fartote. Ainda bem que tinha poupado para a Feira. Ahah! :)

      Eliminar