sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Animais territoriais

Dizem que os gatos são animais territoriais e, por isso, muito ciosos do seu espaço, detestando ter de partilha-lo com alguém, muito menos com outro da sua espécie. Há quem diga que deve haver uma caixa de areia para cada gato, um comedouro para cada um e que também o pucarozito da água não deve ser partilhado. Em suma: os gatos são bichos peçonhentos que não gostam de dividir o que é seu, e muito seu, com outros peludos.

Pois, mas uma coisa que aprendi desde que convivo diariamente com gatos é que do que se diz e pensa sobre estes felinos até ao que eles são na realidade vai um passo de gigante. Aqui, ainda que haja mais do que um bebedouro, mais do que um comedouro e duas caixas de areia, partilha-se tudo. E de tal forma que ontem chegámos a um novo nível de partilha e esse, minha gente, não sabia ser possível no mundo dos gatos. Ora, ainda que existam duas caixas de areia em duas divisões diferentes da casa, eles não se importam nada de agora usar uma, depois usar outra, mesmo que o colega-gato já lá tenha estado também a "marcar território". Isto é normal: um de cada vez utiliza a caixa e depois, se quiser, já utiliza a outra. É uma festa! Mas o que eu nunca tinha visto e vi ontem pela primeira vez foi os dois a usarem a mesma caixa AO MESMO TEMPO! Portanto, o gatarrão gigante que tenho por aqui entrou para fazer o seu portentoso chichi e enquanto estava naquele momento zen em que até semicerra os olhitos, a pequenita apareceu junto da caixa e, para nosso espanto, espremeu-se lá dentro e, coladinha ao gatarrão, fez também o seu chichizinho pequenito. A caixa de areia deles não é coberta e tem um bom tamanho, mas ontem ficou lotada de gatos. Ou os meus bichanos são muito pouco territoriais ou gostam mesmo tanto um do outro que nem o momento das necessidades serve para separação. Nunca, nem nos meus mais extravagantes sonhos, poderia sonhar que o meu gato gigante, o meu bosques mimado se deixaria embeiçar deste modo pela farrusquita-bosques pequenina que em finais de Junho veio fazer-lhe companhia. De verdade: para permitir isto, o gato só pode estar mesmo de quatro por ela (bom, devido às quatro patas ele anda, na realidade, sempre de quatro com tudo...). 

Portanto, gente que pensa que sabe tudo sobre gatos e que diz que eles são muito individualistas e ciosos do que é seu e do seu território, ou os meus felinos são apoucadinhos e têm hábitos estranhos, ou então confirma-se a ideia de que os gatos são tão complexos, tão complexos, tão complexos que nem dá para tentar perceber.

2 comentários:

  1. Olá!
    Estou a promover um passatempo no meu blogue sobre stress e como o combater; podes ganhar uma embalagem de um suplemento de magnésio da Pharma Nord.

    Basta entrar no seguinte link: http://historiasdeariadne.blogspot.pt/2015/10/o-magnesio-e-o-stress.html

    Participa e ajuda-me a divulgar este passatempo que pode ajudar muitas pessoas que tentam combater o stress diário.
    Obrigada.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Que giro! Eu vou mais pela teoria que os gatos são inexplicáveis. Na verdade, acho-os bastante parecidos com as pessoas. Também há pessoas individualistas, aquelas que partilham tudo, e aquelas que são inexplicáveis.
    Deve ter sido uma visão e pêras =P
    ****

    ResponderEliminar