sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Em que aprendo coisas novas

Tirando a curta fase da minha vida no meu sétimo ano em que tive um Pastor Alemão, nunca tinha tido um cão. Portanto, estou a visitar um mundo novo, já que um cachorro está nos antípodas dos gatinhos. Eles quando me vêem, no máximo atiram-se para o chão a pedir uma festa. O cão quando me vê vai buscar a caixa dos fogos de artifício, estoura-a de uma vez, desloca uma anca a abanar a cauda e toda a sua metade traseira, fica com ar de quem está a sorrir e, se dúvidas houvesse, ainda dá um latido. Cada um demonstra à sua maneira e a do cão é, definitivamente, mais efusiva. 

Portanto, além de tudo o resto, aprendo a viver com narigadas de cão nas minhas calças (cortesia do nariz molhado), com gatos que olham para o cão com ar de quem nunca tinha visto um “gato” tão esquisito (penso que lhes apetece dizer “feio” mesmo. São uns snobs), com chão pingado de água por todo o lado, já que o cão sai dos bebedouros ainda “a beber” (o meu moço diz que a cachorrinha tem “a delicadeza de uma vaca”), com um cão que odeia ir à rua e que ainda faz o que tem a fazer nos resguardos em casa... Toda uma festa. Mas pronto: vivendo e aprendendo. Um dia de cada vez até que isto entre em alguma espécie de normalidade. Ou que eu me habitue à loucura. Eheh. 

1 comentário:

  1. OMG eu adorava ter um pastor alemão... ou um great dane xD ou gatos :( mas infelizmente não posso.

    Tenho P & R ali no Reino, vem fazer uma perguntinha ;)

    Beijinhos,
    O meu reino da noite
    facebook | instagram | bloglovin

    ResponderEliminar